top of page
Buscar

5 habilidades essenciais para se destacar no mercado jurídico


Em um ramo extremamente dinâmico e em constantes mudanças, profissionais do Direito tem a necessidade de se manter sempre atualizados para conseguir operar de forma eficiente. Entretanto, estas atualizações nem sempre são relacionadas apenas a temas técnicos da profissão.


Advogados devem se manter atualizados sobre os assuntos em evidência no mercado, inclusive aqueles que vão além do universo jurídico. Isso porque, hoje em dia, no mercado jurídico, não basta apenas ter conhecimento técnico ou estar por dentro das últimas decisões do Tribunal de Justiça. É fundamental nutrir-se de várias áreas do conhecimento, que vão além da academia, para se tornar um profissional mais completo e, assim, enfrentar o concorrido mercado jurídico.


E, já que o conhecimento é um leque que se abre de forma ampla, para não perder tempo com assuntos obsoletos, você precisa saber qual é o tipo de conhecimento que vai contribuir para a sua rotina de trabalho. Sabendo disso, restringimos, neste conteúdo, as principais habilidades para que você tenha informações esclarecedoras sobre o assunto e fique por dentro das tendências para o mercado mundial. Boa leitura!


Por que aprimorar habilidades que vão além do setor jurídico?

Habilidades usuais e procedimentais viabilizam o empoderamento da pessoa e o fortalecimento de competências. Elas podem te ajudar na sua rotina, seja no ambiente profissional ou nas relações interpessoais.


Conhecer sutilezas do ser humano, dominar as emoções, estar atualizado nas novas tecnologias, realizar uma análise de dados e utilizar técnicas de negociação são aptidões fundamentais para profissionais do Direito, afinal, desenvolver e trabalhar com pessoas que tenham habilidades distintas é fundamental na hora de sair do campo estratégico e apresentam excelentes resultados na prática. E, no ramo da advocacia, elas são indispensáveis, pois aliadas à técnica jurídica, podem trazer resultados expressivos para o escritório ou departamento jurídico.


Vale lembrar que algumas habilidades já estão presentes no cotidiano do advogado. Para prosperar em suas funções, é preciso desenvolver habilidades como resolução de problemas, comunicação, além do contato com as pessoas, já que no trabalho jurídico o advogado não depende apenas de si.


Por exemplo, quando o advogado vai expor a demanda do seu cliente frente ao juiz e seus assessores, deve se comunicar de forma assertiva, clara e séria, tudo isso sem parecer prepotente. Suas relações estão diretamente ligadas aos seres humanos e, por isso, usar de empatia pode fazer com que seja visto da melhor forma e, com isso, ter o seu pedido analisado com mais atenção.


Contudo, além do conhecimento junto às pessoas, o advogado do futuro também precisa ter conhecimentos específicos e procedimentais para gerenciar o seu escritório ou departamento jurídico.


Como posso desenvolver essas habilidades?

Antecipar as tendências e obter conhecimento antes de seus concorrentes o colocará na vanguarda. Mas, para isso, é preciso fazer uma reflexão sobre quais habilidades poderiam ajudar nas demandas. A partir da identificação dessas habilidades, deve-se investir no aprendizado e na prática, com estudos, treinamentos e, se necessário, na formação de uma equipe que fortaleça estas capacidades.


Identificar pontos fortes e fracos também pode ser bom para você determinar a energia necessária para cada habilidade que está desenvolvendo, mantendo o processo mais eficiente.


É importante entender que o desenvolvimento de habilidades deve ser gradativo. Como aborda capacidades que requerem o aperfeiçoamento com a prática, deve-se revisitar seus conceitos, promover o treinamento e, principalmente, se expor a situações reais que reforcem e te ajudem a aplicar. 


Na prática jurídica, o advogado possui todo dia a oportunidade de trabalhar diretamente com situações que exigem o uso das habilidades, tendo em vista que está sempre ligado a relações interpessoais. Veja a seguir, quais são as principais para se destacar no mercado:


1.    Inteligência emocional na área jurídica

O crescimento da inteligência emocional na prática jurídica se manifesta a partir da necessidade do advogado de conseguir melhores relações com seus interlocutores. Este profissional está diretamente ligado a negociações significativas e deve ter uma postura sólida, sem perder a sensibilidade de analisar a situação como um todo. Na resolução de um conflito ou em uma mediação entre duas pessoas, o advogado pode ter todo conhecimento da lei, mas se não tiver domínio de suas próprias emoções, corre o risco de colocar tudo a perder.


O advogado que possui o domínio de suas próprias emoções também tem maior capacidade de lidar com as emoções dos outros. Com empatia e sensibilidade, poderá ser mais prestativo, auxiliando de forma adequada nas ações e decisões, minimizando, assim, o clima hostil para obter a colaboração e atingir maior sucesso nas negociações.


2. Análise e interpretação de dados jurídicos

Ainda sob a mesma ótica de que a tecnologia está ocupando cada vez mais o cenário jurídico, podemos constatar que estamos diante da maior disposição de dados e informações jurídicas até hoje. Conforme a Tabela de Estatísticas do Poder Judiciário disponibilizada pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça), os advogados e demais profissionais da área jurídica dispõem de inúmeros dados que podem ser filtrados por comarcas, procedimentos, órgãos julgadores, entre outros.  

O advogado do futuro, aliado a diversas ferramentas, deve saber analisar profundamente estes dados e transformá-los em informação. Com isso, possuirá embasamento para apresentar de forma categórica as soluções mais próximas à realidade do cliente. Todo este conhecimento auxilia os profissionais na tomada de decisões, melhorando a gestão jurídica e obtendo resultados mais significativos.


É claro que, para facilitar na obtenção e análise destes dados, é importante o uso de ferramentas que facilitem o desenvolvimento destas habilidades. Além de sites portadores de informações, softwares jurídicos baseados na análise de dados podem ser usados para potencializar estas habilidades.


3. Organização

Quem é da área jurídica conhece a complexidade da rotina do advogado, com uma infinidade de fatores para organizar: prazos, audiências, reuniões, negociações e produção de teses. Tudo precisa estar em conformidade para que o trabalho flua de forma harmônica, sem prejudicar a produtividade da equipe e evitar a perda de prazos de processos e documento.

Mas saber gerenciar um escritório de advocacia ou departamento jurídico não é uma tarefa fácil. Exige o desenvolvimento de habilidades e práticas de organização para conseguir manter tudo em equilíbrio e melhorar o aproveitamento dos recursos e tempo.


4. Colaboração

Esta é outra soft skill que está diretamente ligada às relações interpessoais, já que a colaboração é sempre uma via de mão-dupla. Esta capacidade pode ser aplicada tanto com clientes e advogados das partes contrárias, quanto entre equipes.

Afinal, já foi o tempo em que o advogado devia ser combativo e impor seus argumentos e suas ideias a todo custo. O advogado do futuro busca soluções para suas demandas por meio da colaboração. Com isso, gera um impacto positivo nas relações, agilidade na resolução das causas e resultados mais eficientes.


Apesar de ser uma das habilidade, a colaboração deve ser conquistada por meio de respeito, empatia, ética e transparência. Sua prática ocorre nos pequenos gestos do dia a dia, com postura e seriedade durante as negociações, sabendo ouvir atentamente as partes interessadas.


Um profissional que desenvolve essas habilidades, naturalmente estará à frente dos seus pares, pois terá à sua disposição ferramentas e recursos diferenciados que lhe darão maior capacidade para elaborar estratégias e argumentos na busca pelos interesses do cliente.


5. Alfabetização digital

Ao longo do texto, frisamos a importância do olhar humanizado nas relações interpessoais do cotidiano jurídico, como é o caso de quando desenvolvemos habilidades de inteligência emocional e colaboração.


Contudo, também apresentamos a importância de outras habilidades focadas em performance e eficiência, como é o caso da habilidade de organização e análise e interpretação de dados jurídicos.  estar atualizado às novas tecnologias para melhorar a eficiência da sua atuação e do trabalho de equipe.


O advogado que entende o impacto das tecnologias do futuro, não apenas se mantem atualizado, como também cria novos horizontas e oportunidades para sua gestão jurídica, que facilitem e otimizem o seu trabalho, ainda mais em tempos em que a maioria dos dados estão no mundo digital e que saber navegar por estas águas é imprescindível.


As pilhas de processos, arquivos gigantes e inúmeros papéis em sua mesa estão prestes a entrar em extinção. Eles serão substituídos por softwares jurídicos eficientes, análises jurídicas baseadas em inteligência artificial e por recursos que visam melhorar a dinâmica dentro do escritório de advocacia. No entanto, para isso é preciso estar por dentro das constantes mudanças e novidades do mundo tecnológico, bem como saber fazer a leitura do que pode ser aplicável a sua realidade para trazer mais eficiência ao seu trabalho.


Por onde começar ?

Para desenvolver estas e outras habilidades, é necessário tempo e dedicação. Contar com soluções jurídicas de qualidade, como as da Thomson  Reuters, é fundamental para o advogado que deseja se destacar, já que elas automatizam os processos e entregam conteúdos atualizados e de qualidade, que otimizam o seu tempo em tarefas operacionais e repetitivas, para que você tenha disponibilidade para construir e desenvolver estas habilidades tão requisitadas no mercado. Conheça nossas soluções e redefina a sua realidade agora mesmo.


A MSM é parceira certificada da Thomson Reuters! Quer saber mais? Nos contate pelo contato@msmconsult.com.br


Texto retirado do site da Thomson Reuters



bottom of page